Liga Conferência: Arouca-Brann, 2-1 (destaques)


A FIGURA: Cristo González

Mostrou uma boa dinâmica com o compatriota Mujica no ataque arouquense. Sem bola, era ele quem recuava para equilibrar a equipa, mas foi com o esférico nos pés que sobressaiu. O golo que apontou e a assistência para o 1-0 saltam à vista numa exibição vistosa, entre várias combinações acertadas e alguns remates perigosos.

O MOMENTO: Mujica desbloqueia o marcador, 23M

Se a repetição faz a perfeição, Mujica parece levar o lema à risca. O avançado espanhol é perspicaz na forma como explora os espaços nas costas das linhas defensivas adversárias, uma qualidade que evidenciou no ano de estreia na Liga portuguesa e que mantém intacta no arranque desta época. Depois, foi só contornar o guarda-redes norueguês e encostar para a baliza deserta. Onde é que já tínhamos visto isto em Arouca?

OUTROS DESTAQUES

Jason

A camisola 10 assenta-lhe na perfeição. Alia requinte técnico a uma visão de jogo apurada, das quais beneficiam os companheiros de ataque, sempre bem servidos quando a bola sai dos seus pés. Um reforço importante numa equipa com bons princípios de jogo.

Mujica

Há coisas que nunca mudam, e o instinto matador de Mujica entra perfeitamente nessa lista. Há poucos avançados como ele a farejar e a atacar com eficácia os espaços entre linhas dos adversários, tal como o lance que resultou no 1-0 o demonstra. Na segunda parte, serviu Cristo González para o segundo golo do jogo. Um perigo à solta para qualquer defesa.

Mathias Dyngeland

O que lhe faltou na vertente estética na forma como abordou os lances, sobrou-lhe na coragem e, sobretudo, na eficiência com que defendeu a sua baliza. Se a eliminatória vai em aberto para a Noruega, em muito se deve ao volume de intervenções de Mathias Dyngeland ao longo da partida em Arouca.



Source link

Leave a Comment