No Dia Internacional do Gato conheça 10 conselhos para ter um gato saudável e feliz – Forever Young


Nesse sentido, e por ocasião do Dia Internacional do Gato, a Royal Canin partilha uma série de dicas práticas que contribuem para melhorar o bem-estar e a saúde dos gatos.

1. Se é um gatinho, tenha cuidado com a alimentação.
Será chave para o seu desenvolvimento. As necessidades nutricionais de um gatinho são muito específicas e a alimentação nesta primeira fase da sua vida é crucial. Deve ser desenvolvida especificamente para esta fase particular, em que o sistema digestivo ainda é imaturo e a função cognitiva está ainda a desenvolver-se.

2. Vigiar a ingestão de água
A água é essencial e os gatos podem ter tendência a beber pouco. Dois bons truques são deixar os bebedouros com água fresca espalhados pela casa e optar pela alimentação mista, misturando alimentação seca e húmida.

3. Proteger sempre a casa
Desde que nascem que os gatinhos têm um instinto de caça e brincadeira, o que pode provocar acidentes se a casa não estiver preparada. Proteja sempre os espaços potencialmente perigosos da casa (como as janelas) e retire objetos que se possam partir e causar ferimentos.

4. Marcar visitas periódicas ao veterinário
O gato tende a esconder os sinais de doença e, por isso, é fundamental levá-lo ao médico veterinário pelo menos uma vez por ano, ou mais frequentemente a partir dos 7 anos. Assim pode-se prevenir uma possível doença ou agir atempadamente caso esta já exista.

5. Observar as mudanças de comportamento
Qualquer pequena mudança nas suas rotinas deve ser um sinal para ir ao veterinário. Se ele se mexer menos, parar de comer, se esconder mais, começar a urinar mais ou fora da caixa de areia… não hesite, consulte o seu médico veterinário.

6. Brincar muito
É importante dar-lhes a oportunidade de fazer mais exercício e de expressar o seu comportamento de caça através de brincadeiras. Pode-se utilizar brinquedos, como arranhadores para gatos, ou simplesmente colocar comedouros e bebedouros em diferentes partes da casa para estimular o movimento. Além disso, o jogo fortalece muito o vínculo do tutor com o seu gato.

7. Cuidar da alimentação
É o primeiro passo para a saúde do gato e a alimentação deve ser escolhida tendo em conta as características específicas do animal, tais como a sua idade, raça ou porte, se é esterilizado ou não ou se tem algum problema de saúde. É uma decisão importante, pois uma alimentação equilibrada de acordo com as suas necessidades ajudará a manter o animal em ótimas condições, melhorando a sua saúde e ajudando a prevenir possíveis problemas futuros.

8. Controlar o peso
A obesidade é um problema crescente e tem consequências como a redução da esperança de vida ou o aumento da predisposição para sofrer de determinadas patologias. A pessoa responsável por avaliar o peso saudável é o médico veterinário, por isso solicitar uma consulta de revisão corporal é importante.

9. Educar um gato a partir do primeiro momento.
O gato começa a aprender desde o momento em que nasce. É sempre importante ensiná-lo onde é o seu espaço (para dormir, comer ou brincar), onde fica a sua caixa de areia e reforçar o vínculo com ele através de brincadeiras. Reforço positivo e afeto serão fundamentais durante todo o processo.

10. Aprender a ler a linguagem corporal
Os gatos podem comunicar-se com os seus tutores de várias formas. É importante ler e compreender a sua linguagem corporal, bem como ouvir os sons que fazem, para saber como se sentem e do que precisam. Se estão calmos (postura ereta, cabeça erguida e leve curvatura da cauda, ronronar suave), confiantes (deitados, cauda estendida, enrolados e barriga exposta), preocupados (agachados, músculos tensos, cauda próxima ao corpo) ou
com medo (costas tensas, arqueadas, cauda inchada e pelos eriçados), dão-nos pistas para sabermos como agir e do que é preciso fazer em determinado momento.





Source link

Leave a Comment